Qué Frô?

Descrição do passatempo

Código Oferta: QUEFRO (insira este código e participe gratuitamente)

QUÉ FRÔ de Sofia Ângelo

Uma produção Teatro Carnide

De 20 de Abril a 30 de Abril

De Quinta-feira a Sábado às 21h30 / Domingo às 17h00

Texto e Encenação Sofia Ângelo / Assistente de encenação Pedro Palrão / Interpretação Gonçalo Fontes, Luís Simões, Nuno Barata Veras, Paulo André, Pedro Pascoal e Tiago Costa / Design de cena Sofia Ângelo / Direção de cena Pedro Rosa / Direção Técnica/Luz/Vídeos Roger Madureira / Sonoplastia Sérgio Delgado / Design gráfico Catherine Boutaud / Carpintaria António Silva / Assessoria de Imprensa Mafalda Simões / Produção Executiva Roger Madureira / Direção de Produção Rita Martins.

Uma produção Teatro de Carnide

Classificação étária:  M12

 TEATRO CARNIDE, de 20 de Abril a 30 de Abril

De Quinta-feira a Sábado às 21h30 / Domingo às 17h00

Reservas | 910 789 764 | producao.tcarnide@gmail.com

Preços | 8 Eur. normal | 6 Eur.  Descontos - estudantes, profissionais do espetáculo, >65 e desempregados

Duração | 60 minutos

 Sinopse:

Homens que se fragilizam para tratar de rosas, precisam colher rosas e não ter medo dos espinhos. As flores já não estão à venda. Juntos brincam, choram, despenteiam memórias e lembram que mais que principezinhos sempre quiseram ser reis e ter um lugar. As coroas estão à venda e um Qué Frô à espreita estará sempre numa qualquer noite de vinho e rosas, óculos, coroas, tiaras prateadas, bonecos, pulseiras, paus de selfie e anéis fluorescentes que piscam ao compromisso...Qué Frô?

(…) Pois olha eu deixei a minha casa, o meu amor, não o próprio, o amor próprio continuo a tê-lo, algum pelo menos, o que tenho comigo ainda assim são rosas, e não sei tratar de rosas, tenho medo dos espinhos, sim, eu tenho mesmo dos espinhos! Colher rosas implica sempre uma espécie de dor, primeiro porque eu não sei colher nada sem me magoar, e depois porque murcham muito rápido, e a memória da beleza do botão em flor se desvanece assim sem aviso prévio.

Qué Frô, de Sofia Ângelo

O Projeto:

Este projeto parte de uma observação sobre os vendedores de flores, mais concretamente dos vendedores, que no vulgo demos o nome de Qué Frô, os homens que vagueavam pelas ruas, maioritariamente à noite, vendendo espontaneamente flores no contexto notívago e boémio da cidade de Lisboa. Estes homens tiveram culturalmente, uma marca concreta na nossa forma de viver a noite, viver as relações da noite e reagir de formas diversas à aproximação e tentativa de se vender algo, sempre com o propósito inequívoco de que o cliente pudesse oferecer espontaneamente uma flor, fosse o seu cônjuge, um amigo (a) colegas, ou eventualmente um estranho.

Estas situações ganhavam uma forma dramática, contendo em si uma tensão e expetativa que observo como teatrais. Ao longo de alguns anos estes homens tenderam a desaparecer, e os que se mantiveram mudaram o seu carisma, precisamente porque as flores foram substituídas por outros objetos, dando lugar à venda de outros artigos, não tão delicados, nem tão simbólicos, nem tão espontâneos como o objeto flor, a nomear alguns: paus de selfie, coroas de led, pulseiras fluorescentes, entre outros.

Esta alteração fez surgir em mim e creio que noutros pares como eu, uma certa nostalgia, um tempo em que o Qué Frô, ganhava na figura em si um momento cómico, amoroso, social, da noite. E neste momento de memória reconhece-se a falta de algo que ao mesmo tempo nos é estranho e estrangeiro mas que pelas características nostálgicas implícitas, assume um carácter verdadeiramente português, conferido pela saudade. Sobre a memória decido entregar-me a um projeto, a partir do qual uma figura cénica Qué Frô faz surgir outras figuras, homens que com a idade do Qué Frô, decidem recuperar memórias, e que tentam resgatar o Qué Frô para se devolver à cidade o lugar dos afetos por via das flores.

O espaço do sarcasmo xenófobo que imperava metamorfoseia-se pela saudade de algo que se faz pertencer, procurar o Qué Frô, é pois o mote deste objeto artístico.

TEATRO CARNIDE - Localização e Acessos

Metro: Colégio Militar Luz

Autocarros: 703 /726/ 764/ 758/ 767

Contacto Mafalda Simões: mafalda.simoes1@gmail.com ou 962941942

Ver vídeo: https://www.facebook.com/teatro.decarnide/videos/1559175730770535/


Regras


Teatro Carnide

Azinhaga das Freiras
   1600 Lisboa
967 341 862

SelectandWin
Facebook
Tweets by SelectAndWin Twitter

Reviews

  
Review